Vasco e Flamengo “VAR” fazer a final do campeonato estadual do Rio de Janeiro

Vasco e Flamengo “VAR” fazer a final do campeonato estadual do Rio de Janeiro

Primeiramente me desculpem pelo trocadilho infame, mas foi irresistível. O grande destaque dessas semifinais do campeonato carioca 2019 foi o VAR, demorado em todos os momentos onde apareceu, porém eficiente e justo, o que é mais importante. Aliás, “carioca” é o termo de quem nasce na cidade do Rio de Janeiro, ficou popularmente conhecido o campeonato estadual em questão dessa forma, porém é errônea tal afirmação.

A grande discussão da semana foi a “entrega” do Maracanã do estado para o comando de Flamengo e Fluminense. E nesse sábado ocorreu o primeiro jogo no estádio depois desse fato. A administração agora é deles por seis meses, depois disso deve haver uma nova concessão para uma nova empresa ou uma prorrogação dessa administração.

O jogo

O primeiro tempo foi um jogo morno como é normalmente a maioria dos clássicos decisivos, pois há muito respeito ou medo mesmo de perder uma partida como essa. O Flamengo teve um gol duvidoso anulado pelo VAR, no mínimo um excesso de zelo por parte da arbitragem. O árbitro de vídeo foi chamado mais uma vez para um lance do Lateral Gilberto que só recebeu o cartão amarelo.

Aos 44 o próprio Gilberto, que poderia ter sido expulso naquele lance mais cedo, fez o gol de abertura do placar. Primeiro tempo terminou com o Flu a frente se classificando pra final do estadual. Porém o Fla só precisava empatar o jogo para conseguir tal feito.

O segundo tempo começou animado com mais chances de cada lado e aos 69 minutos Gabigol veio do banco e decidiu mais uma partida para o rubro negro.

Quinta final em 6 anos

O Vasco consegue chegar a quinta final no último 5 campeonatos estadual, sendo vice em duas ocasiões (uma pro Flamengo e uma pro Botafogo) e campeão em outras duas (ambas em cima do alvinegro). Muitos problemas extra-campo quase atrapalham o clube a chegar a mais uma final de carioca. Dias antes do jogo houve confusão pra concentração, houve confusão política, houve confusão pra tudo que é lado. Sobrou para o Thiago Galhardo que foi dispensado do clube.

Os problemas do clube começam a refletir na arquibancada, onde qualquer coisa que o técnico faça um pouco diferente a reclamação é efetivamente maior do que se deveria para um clube que quase não perdeu esse ano e ainda não foi eliminado em nenhuma competição. No primeiro tempo o treinador foi obrigado a substituir o meia-atacante Rossi que estava lesionado. No banco ele tinha a opção do Pikachu que é ídolo no clube, mas vive uma má fase e a estrela da base Lucas Santos. A escolha foi pelo também garoto (mas não da base) Yan Sasse, que há algum tempo vem sendo criticado pela torcida. A ira de um torcedor chamou atenção, o mesmo tirou o sapato e ameaçou tacar no técnico. Felizmente ele não fez o ato.

Pra variar o primeiro tempo foi parado e o segundo animado. O Vasco empatou com ele o “VAR” no jogo, pênalti convertido pelo Bruno César, que fez um gesto “falastrão” que ficou no ar se era pro presidente Campello, pra torcida do Vasco ou pro Thiago Galhardo. O Bangu logo em seguida empatou. E para surpresa de todos, ele, o “Detestado” pela torcida e amado do técnico Yan Sasse fez um belo gol que deu a vitória ao cruzmaltino. Pro clube ir a final bastava um empate, porém o clube foi além. Ao final da partida Bruno Cesar saiu e o tão desejado pela torcida Lucas Santos entrou em campo em uma nova função, mais centralizado como cérebro do time mesmo, verdadeiro camisa 10 e não fez feio, jogou bem. Ele até agora tinha jogado apenas pelo lado do campo, talvez o Valentim finalmente tenha achado uma função melhor pro jovem garoto.

A procura de um “cocada”

Ao final da partida os jogadores do Vasco deram uma coletiva para falar que estava tudo bem no clube e o grupo é unido. Thiago Galhardo chegou a se caminhar com o restante do time para a coletiva, mas no meio do caminho foi avisado para não ir. E foi “demitido” logo depois. A Vasco agora pega seu arqui-rival Flamengo na decisão o qual não vence em uma final (de campeonato mesmo e não turnos que não valem muito) desde 1988 onde venceu a final daquele estadual por 1 x 0 com o gol do Cocada.

Cocada comemorando gol em 1988

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *