Muita polêmica, pouca gente e pouco futebol

Muita polêmica, pouca gente e pouco futebol

Poucas testemunhas na arquibancada e muitas na TV. Foi assim que começou a final do campeonato estadual do Rio de Janeiro 2019. Flamengo x Vasco fizeram um jogo que reflete bastante a diferença entre os dois times na atualidade.

O jogo não foi como é tradicionalmente no Maracanã, porque o Presidente do Vasco, Alexandre Campello, entende com o estádio sendo agora administrado pelo Flamengo e Fluminense não pode receber um jogo de mando de campo do Vasco. Além disso, houve a inversão dos lados da torcida. Entre outras coisas o motivo maior da inversão fica claro é que pra torcida do Vasco aparecer na transmissão somente dessa forma, já que a televisão sempre tem a tendência de mostrar só a torcida rubro-negra e pouco a adversária. Até em forma de patrocinadores dá pra entender o mandatário cruzmaltino, porém os riscos que isso poderia proporcionar não valeriam a pena.

O estádio ficou vazio, pouco mais de 10 mil pessoas presentes, claramente uma divisão meio a meio mesmo entre as torcidas o que é o normal entre Vasco x Flamengo, porém acabou muita mudança dos hábitos do torcedor e a possível violência que ocorre no confronto (que dessa vez não aconteceu) afastou o publico. O prejuízo no fim foi do clube da colina.

A partida de uma nota só

O jogo começou lento mas com o Flamengo dominando pois os jogadores do Vasco estavam claramente nervosos e erravam muito, curiosamente não muitos passes porque o índice no início estava alto dos dois times. Os 20 minutos iniciais antes do tempo técnico foram de pane do Vasco e o Flamengo jogando de forma correta. Fernando Miguel machucou a panturrilha e jogou no sacrifício, a impressão que tivemos é que se ele não estivesse ali até o final do jogo poderia ter sido uma goleada histórica a favor do rubro-negro.

Os juízes estão claramente muito presos ao VAR, teve um lance que o juiz estava recebendo orientações dos outros integrantes na sala do VAR que pareceu uma dúvida de cartão amarelo, o que nem é permitido na regra sobre o dispositivo, só cartão vermelho pode ser revisto ou acusado. Falando em cartão amarelo “o cara” da final por enquanto está fora do segundo jogo pois levou cartão e está suspenso.

Finalzinho do primeiro tempo o domínio inicial do time da Gávea retornou enquanto o Vascaíno a essa altura só rezava pra que a primeira etapa terminasse o mais depressa possível. Enquanto o time do Flamengo estava muito bem arrumado por Abel Braga com a surpresa do Bruno Henrique de centroavante, o Vasco de Valentim não era nem um esboço de time.

Bruno César que errou tudo no primeiro tempo, na marcação, na armação e até no temperamento foi substituído. Aliás tenho a impressão que se ele ficasse mais um pouco em campo com certeza seria expulso. Lucas Santos a joia da base entrou em um dos poucos acertos do Valentim, porém nem ele brilhou muito. Vasco tava até igualando o jogo quando levou gol do melhor jogador em campo Bruno Henrique, o matador de clássicos.

Polêmica do VAR mais uma vez e procura-se o Vasco de Valentim

Um lance de gol anulado do Bruno Henrique gerou muita polêmica, pessoalmente acho que é um lance completamente interpretativo já que a regra, diferente do que fala um certo comentarista consagrado, não é nada clara. Aliás o comentarista da Globo fez o seguinte comentário: “Um erro técnico do Werley que deu origem a uma nova jogada”. Com todo o respeito: viagem pura. Aceito opiniões sempre, mas achei isso muito tendencioso por parte do mesmo. A minha interpretação é que a hora que o passe sai do pé do jogador do Flamengo é configurado um possível passe e ela sobra pro Bruno Henrique que se aproveita do primeiro lance para fazer o gol. Se o Werley tivesse tocado propositadamente para trás isso tiraria sim o impedimento do atacante, porém eu acredito vendo e revendo o lance que a bola apenas toca no zagueiro, resvala que o mesmo não teve a intenção de tocar a bola pra trás, aliás, o que seria de um absurdo do tamanho do mundo pensar dessa forma.

Ainda sobre as mancadas do técnico do Vasco ele tirou o melhor jogador do time, Marrony e acabou de vez com as chances do time nesse primeiro jogo da final. Gol do Flamengo novamente, segundo dele Bruno Henrique. Que fase boa vive o atacante. Antes de acabar o jogo tivemos uma pane no VAR que foi das coisas mais esquisitas do jogo. Falando em lance interpretativo podemos cada um ter uma sobre o que aconteceu. Algum flamenguista se sentindo prejudicado ficou irritado e fez o equipamento pifar? Vascaínos com medo de perceberem estar sendo teoricamente ajudados? Ou simplesmente aconteceu de pifar mesmo. Sinceramente não duvido de nenhuma das opções. Porém tenho minha opinião que sim, foi apenas uma falha técnica, daquelas que só acontecem no nosso “querido” e falido campeonato carioca.

O segundo jogo da final deve ser de maioria absoluta de flamenguistas até porque fica difícil acreditar que o Vasco inverta um resultado tão adverso de 2 x 0 com um time atual tão inferior ao rival. Além disso, toda a questão da “freguesia” em finais é quase certo que vai afastar os torcedores tão apaixonados do clube da colina. É bom lembrar que o Vasco não ganha uma final do Flamengo (não estou contando turnos) desde 1988 quando venceu com gol do Cocada. Tudo leva a crer em um título do elenco milionário do Flamengo. Porém futebol não é exatamente uma ciência exata…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *