A prova mais esperada do calendário GFNY – os atletas

A prova mais esperada do calendário GFNY – os atletas

Cerca de 5.000 ciclistas são esperados para participar da 9ª edição do Campagnolo GFNY World Championship NYC neste domingo, dia 19 de maio.

A prova feminina

Camila Cortes, da Colômbia, não é favorita à toa. Ela já acumula 12 títulos como campeã de provas GFNY, 5 desses títulos foram em Nova York. E com tamanha importância, e também responsabilidade, uma equipe de filmagem estará acompanhando a atleta para gravar um documentário chamado “Road to 13”.

Mas se engana que isso será alguma vantagem para Camila, será apenas mais uma atração para cultuar a transmudai em torno do evento. E as adversárias farão de tudo para não deixar esse 13º título de Camila Cortes chegar, pois todas querem subir no lugar mais alto do pódio. A vice-campeã de 2018 Jill Patterson refinou suas estratégias após a sua estreia ano passado e quer subir um degrau. Outras candidatas também vem forte, entre elas: Janine Meyer (Campeã 2018 GFNY Europe / GFNY Deutschland), Marcia Barrios (Campeã 2018 GFNY Panamá), Flavia Lorenzetti (Campeã 2019 GFNY Uruguai) e Juana Fernandez Veras (Campeã 2019 GFNY Republica Dominicana).

A prova masculina

O atual campeão da prova, o novaiorquino Mike Margarite, tira umas férias do GFNY. E o campeão de 2017 e vice em 2018, o italiano Ricardo Pichetta vem em constante presença e boa forma, sendo figura carimbada em inúmeras provas internacionais, tanto em etapas GFNY quanto em outras. Ele que vem forte após a etapa do GFNY Italia e após ser campeão da prova de estreia do GFNY Portugal em 2018. Ele é sempre forte e um dos favoritos em qualquer disputa que entrar.

E muitos outros atletas vem fortes para essa disputa. Tudo pode acontecer no meio de tantos feras. Carlos Trujillo, da Colômbia, vem em forte impulso após o GFNY Latin America Championship, em Bogotá na Colômbia. Vem agarrando provas com garra, pegando pelos chifres, e vem acompanhando por membros da sua equipe que poderão trabalhar em seu benefício.

Bill Ash, de Nova York, conhecedor do percurso, não teve sorte ano passado após um acidente em pista molhada. Mas para 2019 vem em forte atividade e quer firmar o troféu em sua cidade natal.

Aiman ​​Cahyadi, da Indonésia, ciclista profissional e campeão do GFNY Asia Champion, chega à Nova York pela primeira vez e pretende deixar que sua experiência e físico falem mais alto. Ele que é acostumado em competir em provas mais quentes, enfrentará o frio local, que poderá ser um desafio extra.

O alemão Jochen Wallenborn, atual campeão do GFNY Europe Champion pretende usar sua experiência como veterano.

O mexicano Fernando Arroyo, campeão do GFNY Monterrey 2019 vem forte nas escaladas, comendo as montanhas.

Cedric Haas, da França, foi tão forte ao vencer a subida da Bear Mountain em 2018, que a direção da prova investigou se sua bike tinha motor. E não tinha! Foi puro fôlego e pernas. Mas que lhe custaram caro, pois na perseguição final ficou entre os top 10, mas não pegou o título. Quer uma chance para vencer esse ano.

O dia da prova

No GFNY (Gran Fondo Nova York), o grande mote é que cada ciclista tenha uma experiência “Be a pro for a day”, ou seja, seja e se sinta como um profissional por um dia. Onde enfrentarão subidas, descidas, disputarão com outros ciclistas e buscarão os seus melhores tempos e performance, tudo cercado da melhor e mais completa estrutura profissional, com total segurança e rigidez de uma prova de circuito mundial.

Os ciclistas enfrentarão um percurso desafiador de 100 milhas, com 8.500 pés de altimetria, ou seja, aproximadamente 160km e 2.590m de acúmulo de subidas. A largada de dentro da icônica George Washington Bridge será às 7h seguindo até o Parque Estadual Bear Mountain, com retorno ao sul para a linha de chegada em Fort Lee, contando com uma festiva recepção, com refeição, música, atrações para toda família, exposição de grandes marcas e produtos, um grande intercâmbio cultural com pessoas de várias partes do mundo.

Além do percurso principal, por volta de 15% dos participantes fazem o percurso menor e não competitivo, de 50 milhas, aproximadamente 80km. Muitos optam por fazer esse percurso, para conhecer a estrutura e como experimentação e primeira experiência, como preparação para participar da prova principal e completa no ano seguinte.

“A corrida deste ano, para a coroa do Campagnolo GFNY World Championship NYC, será uma competição global. Os principais competidores de todo o mundo seguirão em frente, e tornamos a corrida ainda mais acirrada ao oferecer um prêmio de US$ 10.000 em dinheiro para o primeiro piloto a completar em 4 horas. Uma transmissão ao vivo profissional no gfny.com que flui para o Youtube e o Facebook permitirá que os fãs acompanhem a corrida pelo título: and the hunt for breaking4.”

Disse Lidia Fluhme, presidente do GFNY

Breaking 4

“Nos últimos oito anos, nenhum piloto ficou abaixo das 4h15m. Olhando para a nona edição, começamos a nos perguntar se quebrar 4 horas é possível no curso Campagnolo GFNY World Championship. O prêmio em dinheiro de US$ 10.000 ao primeiro ciclista que quebrar as 4 horas dará uma nova dimensão às táticas de corrida.”

Disse Uli Fluhme, CEO do GFNY

Os tempos mais recentes registrados foram de: 4 horas e 15 minutos (2015), 4 horas e 30 minutos (2016), 4 horas e 28 minutos (2017) e 4 horas e 22 minutos (2018). Então a busca por quebrar 4 horas é viável. Vamos ver quem entra na pilha e encara baixar o tempo.

Controle de doping

Desde 2012 o GFNY apresenta um rigoroso sistema de controle de doping, para manter alto e justo o nível entre os competidores e afastar qualquer irregularidade para burlar a performance. Foi o primeiro evento amador a realizar esse tipo de controle fora dos dias de competição, para ter o elemento surpresa. O GFNY realiza também verificação nas bicicletas dos finalistas, ao final da prova, para assegurar não haver doping mecânico, como motores ou mecanismos.

Medalhas especiais

O GFNY recebe todos os atletas após cada uma das provas com medalhas de participação. Mas agora também entregará outros dois tipos de medalhas de “multi-finishers”. Uma delas é a de “3-timer 2019”, aos ciclistas que completarem 3 provas GFNY em 2019. A outra é a medalha de “All-Time”, aos ciclistas que acumularem 10, 20, 30 e 40 provas em seus currículos. Cada medalha tem uma letra (G, F, N e Y) correspondente às quantidades acumuladas (G para 10 etapas, F para 20 etapas, N para 30 etapas e Y para 40 etapas), e ao completar 40 etapas o atleta completa o conjunto formando o nome e o slogan da prova. É quase como se tornar uma lenda, com tantas participações.

Sobre a transmissão da prova

A organização do GFNY está trabalhando com uma equipe profissional para transmitir a corrida à partir das 6h através no site gfny.com, e também pelo Facebook e Youtube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *